Notícias


Economia & Finanças Postado em terça-feira, 27 de fevereiro de 2018 às 12:24
O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI-RS) de fevereiro, revela otimismo disseminado entre os industriais gaúchos. O ICEI-RS avançou 0,6 ponto, alcançando 61,6, a oitava alta consecutiva, o que representa a maior série desde janeiro de 2010 e o mais alto nível desde junho do mesmo ano. “A confiança do empresário vem ancorada no cenário favorável para demanda, juros e inflação para 2018, o que mantém as projeções de continuidade da recuperação da atividade industrial nos próximos meses”, explica o presidente da FIERGS, Gilberto Porcello Petry.

A pesquisa mensal realizada pela FIERGS aponta confiança quando o resultado fica acima dos 50 pontos, o que ocorreu em fevereiro. O levantamento deste mês, porém, não captou o impacto provocado pela suspensão da Reforma da Previdência – anunciada esta semana –, pois a coleta de dados se encerrou no último dia 16.

Todos os indicadores que integram a pesquisa subiram em fevereiro. A principal contribuição para o aumento da confiança no mês foi dada pelo Índice de Condições Atuais (ICA), 57,2 pontos, a maior pontuação desde junho de 2010, e uma expansão de 1,6 ante janeiro. Entre os subcomponentes, o Índice Condições da Economia Brasileira passou de 55,2 para 57,4 pontos, o mesmo resultado do Índice de Condições Atuais das Empresas, que subiu 1,3 ponto em relação a janeiro. Ao crescer acima dos 50 pontos, os índices mostram que é cada vez maior entre os empresários gaúchos a percepção de melhora da economia nacional, assim como da situação das suas empresas.

EXPECTATIVAS

No segundo mês de 2018, houve também um pequeno avanço nas perspectivas dos empresários. Para os próximos seis meses, o Índice de Expectativas passou de 63,6 pontos em janeiro para 63,9 em fevereiro, maior patamar nos últimos oito anos. Entre seus integrantes, o destaque ficou mais uma vez com a economia brasileira, cujo índice chegou a 59,9 pontos, 0,4 acima de janeiro e o mais alto desde fevereiro de 2011. Já o Índice de Expectativas da própria Empresa permaneceu praticamente estável, em 66 pontos. O percentual de industriais gaúchos que projetam melhora na economia brasileira chegou a 47,8%, enquanto a fatia que prevê piora foi de 7,3%.


Na amostra deste mês, realizada entre 1º e 16 de fevereiro, foram consultadas 210 empresas, sendo 51 pequenas, 71 médias e 88 grandes.

Fonte: Fiergs