Notícias


Gestão & Liderança Postado em quarta-feira, 03 de outubro de 2018 às 06:46
Em tempos de crise, com a proliferação de fechamento de negócios de todos os tamanhos, torna-se ainda mais urgente pensar o planejamento financeiro de maneira correta. Novas tecnologias, antes destinadas apenas às grandes empresas do varejo, já são ofertadas aos micro e pequenos empreendedores do setor.

Lars Leber, country manager da Intuit Brasil, especializada em soluções digitais para gestão empresarial, afirma que só as tecnologias não serão capazes de resolver os problemas de gestão financeira, é preciso que os processos nas empresas sejam otimizados, em especial nas empresas menores, que têm estreita margem de manobra para contornar eventuais erros.

Confira as sete dicas do executivo para que as micro e pequenas empresas tenham eficiência para vencer os desafios mais frequentes:

 1. Tenha um planejamento financeiro sólido

Depois de se certificar de ter a quantia necessária para não passar nenhum aperto, os empreendedores devem pensar em criar um planejamento financeiro. Saber quanto se gasta, desde o telefonema para o fornecedor até o produto/serviço chegar às mãos do consumidor é essencial para precificar com precisão seu produto ou serviço.

2. Invista um valor seguro

Não se deixe levar pelo desespero. Antes de colocar todo o dinheiro economizado nos últimos anos, ou de buscar empréstimos, avalie, dentro da sua realidade, uma quantia segura – para você e seu negócio – e invista em sua ideia.

3. Acompanhe regularmente as operações financeiras

Não é porque você já sabe o quanto gasta e o quanto lucra no mês que pode deixar de acompanhar suas movimentações diariamente. É importante verificar todo o histórico financeiro da sua empresa a fim de identificar períodos de maior lucratividade, os produtos/serviços que podem ser aperfeiçoados, ou em quais pode continuar focando o seu investimento.

Saber como está a saúde do seu empreendimento é fundamental e, para isso, o sistema digital de gerenciamento financeiro. Hoje, algumas ferramentas  permitem que o pequeno empresário faça um controle financeiro eficiente e que visualize sua performance em relatórios fáceis e customizáveis. Além disso, o sistema também permite a visualização dos pagamentos, recebimentos, saldo total e de monitorar mensalmente os lucros conquistados.

4. Separe as finanças profissionais das pessoais

Levar trabalho para casa é muito comum, principalmente quando você é o maior interessado no sucesso do negócio, mas se tem uma coisa que não se pode misturar são as finanças do seu negócio com as pessoais.

5. Tenha o controle do seu negócio

Contratar ajuda profissional é ótimo e recomendado, mas o empresário precisa ter conhecimento dos números do seu negócio. Soluções ajudam o empreendedor a controlar as finanças no celular, via aplicativo, o que traz comodidade e facilita a análise diária das movimentações. Esteja sempre ciente do que entra e sai da empresa e saiba que a melhor pessoa para identificar o que funciona com seu negócio e público é você mesmo.

6. Tenha metas de curto, médio e longo prazo

Sabe aquela agenda de começo de ano em que você coloca os seus planos para um novo ano? É a mesma coisa quando se tem uma empresa. Ter metas de curto, médio e longo prazo te auxilia a manter o foco e não deixar que decisões do dia a dia te dispersem das decisões a serem tomadas.

7.  Não dê um passo maior que a perna

Quando o negócio está dando certo é comum querer crescer rápido. Ampliar a loja ou abrir uma franquia é um grande passo que deve ser feito caso seja de interesse dos donos. Porém, ter consciência financeira do período em que seu negócio se encontra é necessário para que nada seja feito antes do momento e acabe influenciando negativamente os resultados.

Fonte: Novarejo