Notícias


Gestão & Liderança Postado em quinta-feira, 01 de novembro de 2018 às 14:20
Todos os dias, reservo, ao menos, 30% da minha agenda livre de compromissos, aberta para reflexões, insights e assuntos ad hoc. Mas só consigo fazer isso, liderando a Selfit, porque desenvolvemos uma forte cultura de pertencimento presente nas lideranças e em todo o time.

Minha rotina tem alguns rituais próprios que me ajudam a extrair o máximo de cada hora, como:

1. Checar a agenda do dia seguinte no final do dia anterior, bem como a semanal para fins de planejamento;

2. Reservar 30% do tempo sem compromissos, abrindo espaço para reflexões estratégicas, dentre outros;

3. Começar o dia tratando do tema mais importante e urgente da agenda, jamais o contrário.

Cultura de dono

Mesmo com esses pequenos hacks de produtividade, a forma mais eficiente de gerir meu tempo é fortalecendo a cultura de dono que criamos na Selfit. Com ela, nós descentralizamos as decisões e delegamos responsabilidades. Essa cultura é tão forte que influencia, principalmente, a postura e os resultados do time que desenvolve autonomia e cabeça de dono. Propósito e valores são guidelines poderosos.

Nós valorizamos muito o conceito de capabilidade, de cada um dos nossos funcionários espalhados nas nossas dezenas de unidades serem capazes de exercer atividades diferentes quando mais for necessário. De Manaus a Salvador, nós precisamos oferecer o mesmo nível de experiência, por isso capacitar o time em diferentes níveis e tipos evita soluços na gestão.

Eu acredito muito na gestão participativa, por isso no momento de definir estratégias e caminhos, envolvemos também as pessoas que farão parte da entrega, construindo a quatro mãos.

A consequência dessa cultura é o espaço que ganho na agenda, saindo do mergulho da operação para desenhar nossa estratégia e expansão. Mas, com certeza, os benefícios vão muito além de algumas horas a mais no dia do empreendedor e podem ser observados cada vez que alguém for recebido em uma de nossas unidades.

Fonte: Endeavor