Notícias


Economia & Finanças Postado em terça-feira, 17 de novembro de 2020 às 10:18
Projeção do mercado para IPCA em 2020 sobe pela 14ª semana seguida, para 3,25%; PIB deve cair 4,66% Economistas consultados pelo BC também elevaram as projeções para o IPCA em 2021, de 3,17% para 3,22%.


O mercado financeiro continua a ver uma pressão inflacionária cada vez maior e revisou para cima a projeção do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para 2020, pela 14ª semana consecutiva, desta vez de 3,20% para 3,25%. Os dados são do relatório Focus, divulgado pelo Banco Central na manhã desta segunda-feira (16).

Para 2021, também houve aumento nas projeções, pela quarta semana consecutiva, que agora apontam para uma inflação de 3,22%, ante 3,17% na semana passada.

Com relação ao desempenho da economia brasileira, os economistas consultados pelo Focus voltaram a revisar as projeções da queda estimada para este ano, de 4,80% para 4,66%.

Para 2021, passados os fortes impactos da pandemia de coronavírus, é esperada uma expansão de 3,31% do Produto Interno Bruto (PIB), sem alterações na comparação com o último levantamento.

Na semana passada, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma prévia do PIB, apresentou expansão de 9,47% no terceiro trimestre de 2020, em comparação com os meses de abril a junho.

O relatório Focus desta segunda-feira também mostrou uma leve redução na estimativa para o câmbio em 2020, de R$ 5,45 para R$ 5,41. Já para 2021, as projeções para a moeda foram mantidas em R$ 5,20.

Por fim, no que tange às expectativas para a taxa Selic, não houve alterações nesta semana. O mercado financeiro vê a taxa básica de juros encerrando este ano em 2% ao ano e subindo para 2,75% em dezembro de 2021.


TOP 5

Entre os economistas ouvidos pela autoridade monetária que mais acertam as previsões, reunidos no grupo “Top 5 médio prazo”, as projeções apontam para inflação de 3,14% este ano, frente a estimativa de 3,08% anteriormente.

Para 2021, o IPCA estimado é de 3,36%, acima dos 3,31% da semana passada.

No câmbio, as projeções se mantiveram em R$ 5,55, para 2020, e em R$ 5,24, ao fim de 2021.

Já a taxa Selic deve permanecer no atual patamar de 2,00% este ano, e subir para 2,25% até dezembro de 2021.

Fonte: Infomoney