Notícias


Estratégia & Marketing Postado em quarta-feira, 20 de maio de 2020 às 09:09
Vamos começar pelo contexto, assim ficamos todos na mesma página!

Conceitualmente, o cara da Cadeia de Valor é o Michel Porter. Em 1985 ele estruturou o conjunto de atividades desempenhadas por uma organização desde as relações com os fornecedores e ciclos de produção e de venda até à fase da distribuição final. Começava então a visão organizacional para a entrega de valor.

"Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma" (Antoine Laurent Lavoisier)
A citação foi só pra entrar no clima!


Agora vamos raciocinar e voltar um pouco no tempo, mas não perca o foco da Cadeia de Valor:

- 400 a.C. os egípcios já usavam funções da administração para planejar, criar estratégias e comandar batalhas;

- os magos da Administração definiram quatro funções para a arte de administrar: Planejar, Organizar, Dirigir e Controlar;

- Taylor e Ford, em 1903, defendiam o uso do planejamento para execução de tarefas e introduziu o conceito de eficiência (produtividade+economia de recursos);

- Fayol, em 1916, deu foco às funções administrativas, defendendo a unidade de comando e controle - hierarquia;

- Mayo, em 1932 iniciou o pensamento com foco em pessoas, com conceitos como motivação, liderança e comunicação, que também foi abordado por Hezberg e Bradford em 1957.

- Karl Marx, Max Weber e Levi-Straus, em 1947, institucionalizaram a análise intra e inter organizacional;

- Em 1954, Peter Drucker, Koontz e outros começaram a pensar de forma mais pragmática. Surge então a ideia de que as organizações precisam de uma razão para existir, a Missão e mais, precisavam analisar o contexto ambiental;

- O ambiente e a tecnologia foram a abordagem de Chandler em 1972 e a competitividade, aprendizagem organizacional foram tratados por Adam Smith por volta de 1990.


“A CADEIA DE VALOR DESIGNA UMA SÉRIE DE ATIVIDADES RELACIONADAS E DESENVOLVIDAS PELA EMPRESA A FIM DE SATISFAZER AS NECESSIDADES DOS CLIENTES, DESDE AS RELAÇÕES COM OS FORNECEDORES E CICLOS DE PRODUÇÃO E VENDA ATÉ A FASE DA DISTRIBUIÇÃO PARA O CONSUMIDOR FINAL. CADA ELO DESSA CADEIA DE ATIVIDADES ESTÁ INTERLIGADO.” (Michael Porter)

Se conseguiu ler até aqui e quer continuar, mantém o raciocínio. Todo o contexto histórico tem relação direta com a Cadeia de Valor, certo? Óbvio! Porter, com toda sua sabedoria, juntou os elementos que eram necessários ao funcionamento de uma organização em um gráfico que permite a visão integrada com o objetivo de gerar resultados significativos, e a cereja do bolo.... gerar resultados significativos não somente à organização, mas, também aos clientes.

Agora voltemos à pergunta do subtítulo:

Onde está o valor?

Precisamos ter consciência que não construímos Cadeias de Valor. Representamos os processos identificados em funções administrativas, que são cuidadosamente dispostos e encadeados para que todos (departamentos, cargos, direções e gestores) se "enxerguem".
E isso, pessoas, não é uma Cadeia de Valor. O raciocínio ainda não se perdeu, né?

Cadeia de Valor = processos (deixa de lado agora a hierarquia de processos) estruturados para gerar ou criar VALOR. Logo:
Se você construiu um diagrama de processos, todos se enxergam, mas não entregam um resultado que confirma a missão e geram valor ao cliente, não acredite que fez uma Cadeia de Valor.

Então, agora com o raciocínio estruturado, vamos à lógica das coisas:

Antes de construir a Cadeia de Valor:
- Conheça, entenda e pesquise sobre a organização;
- Leia, pergunte e pesquise sobre seus componentes estratégicos, estrutura organizacional, regimentos e legislações.

Durante a construção:
- Identifique o(s) principal(is) cliente(s), aquele para o qual a missão foi definida;
- Identifique o(s) valor(es) - sem cair na tentação de identificar os produtos, mas os resultados significativos que satisfazem o cliente.
- Identifique a resposta para a pergunta: O que é preciso fazer para que o valor seja gerado?
- Encadeie e agrupe as etapas de geração do valor em processos (conjunto de atividades, encadeadas, executadas de forma interdepartamental e que geram resultados, que somados, entregam o valor.);
- Se for necessário, desdobre conforme a hierarquia de processos (macroprocessos, processos, subprocessos);
- Classifique os processos - primários, gerenciais e de suporte;
- Se possível, coloque no diagrama a Missão e a Visão de forma explicita.

Depois da construção:
- Confira se o conjunto de processos resultam na entrega dos valores;
- Confirme a coerência do encadeamento dos processos;
- Por fim, faça uma avaliação lógica se tudo o que foi registrado representa a organização e se os valores refletem a missão.

Fonte: Administradores.com