Notícias


Varejo & Franquias Postado em terça-feira, 10 de abril de 2018 às 20:09
O varejo brasileiro apresentou alta de 0,7% em fevereiro na comparação com o mesmo período de 2017, descontando a inflação que incide sobre a cesta de setores do varejo ampliado. É o que aponta o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) divulgado no dia 15 de março.

Em termos nominais, número que reflete o que o varejista de fato observa na receita das suas vendas, o indicador registrou alta de 2,1% na comparação com o ano anterior.

O mês teve o desempenho prejudicado pelo calendário. O Carnaval em 2018 foi celebrado na primeira quinzena de fevereiro enquanto que em 2017 foi comemorado na  última. Consequentemente, a quarta-feira de Cinzas, data tipicamente fraca em vendas, ocorreu em fevereiro de 2018. Já em 2017, a data ocorreu no mês de março.

Ainda assim, ajustados aos impactos de calendário, o índice deflacionado apontaria alta de 1,5%, o que representa uma desaceleração em relação ao observado no mês de janeiro (1,9%). Já pelo ICVA nominal, com os ajustes de calendário, o indicador apresenta alta de 3,0% em comparação com o mesmo período de 2017, no mesmo patamar dos últimos 3 meses.

"Em fevereiro tivemos uma desaceleração em relação a janeiro, mas ainda com alta na comparação com fevereiro do ano passado", afirma Gabriel Mariotto, diretor de Inteligência da Cielo.

Fonte: Exclusivo
Varejo & Franquias Postado em domingo, 18 de março de 2018 às 15:29
A incipiente melhora no acesso dos consumidores ao crédito, somada a inflação menor que o esperado, forma um cenário positivo para o varejo brasileiro. Em janeiro, as vendas cresceram 0,9% na comparação com dezembro, abrindo caminho para a primeira alta trimestral desde o fortalecimento da crise.


"Há um incremento nas vendas e o comércio se mantém em trajetória ascendente. O ritmo das vendas ainda é gradual visto que nos últimos meses ele subiu e desceu com uma certa frequência. Mas a trajetória é positiva", disse a economista do IBGE Isabella Nunes, que participa do levantamento mensal.

Em janeiro, as vendas no varejo subiram 0,9% na margem, dado mais forte desde junho de 2017, quando houve ganho de 1,1%. Sobre um ano anates, o avanço foi de 3,2%.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também revisou as vendas de dezembro, apontando uma queda de 0,5%, contra queda de 1,5% informada antes.

Aumento generalizado

De acordo com a análise dos economistas do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) o avanço generalizado é um bom termômetro. “Os resultados positivos foram bastante difundidos entre os segmentos do comércio na comparação interanual, atingindo 8 dos 10 ramos acompanhados pelo IBGE e 19 dos 27 estados da federação”, dizia a análise.

Na visão de Isabella, do IBGE, o aumento das vendas em janeiro foi puxado pela alta de 2,3% em supermercados, um sinal de maior disposição do brasileiro em gastar. “Por trás disso está claramente crescimento da massa salarial e inflação baixa, especialmente para alimentos", disse.

No varejo ampliado, que inclui veículos e material de construção, as vendas recuaram 0,1% em janeiro sobre dezembro, com queda de 0,2% em Material de construção mas ganhos de 3,8% em Veículos e motos, partes e peças.

De acordo com o relatório assinado pelos especialistas do Itaú Artur Manoel Passos e Alexandre Gomes da Cunha estimam que a alta no varejo para fevereiro, na análise dessazonalizada gire em torno de 0,5%, em um movimento que poderá elevar a variação do indicador no acumulado do primeiro trimestre de 2018, e abrir caminho para avanço mais robusto do setor.

Fonte: DCI