Notícias


Varejo & Franquias Postado em quarta-feira, 17 de maio de 2017 às 12:53
Provador com a luz ideal, som ambiente na loja, vendedor com a postura correta que, ao mesmo tempo em que dá ao cliente o espaço para ele ser livre, se mostra prestativo e garante o atendimento necessário quando o cliente precisa. Pode parecer clichê, mas a fórmula do sucesso de vendas pode ser mais simples do que se imagina.
O estudo “Comprando com emoção”, realizado pela britânica Retail Week Reports, em parceria com a agência Mood Media, mostrou que os consumidores esperam que a loja física seja o ponto de relacionamento com a loja.
As empresas  entrevistaram 2 mil consumidores britânicos, executivos do varejo, gerentes de lojas e consultores sobre o papel das lojas e o que pode ser um atrativo para as vendas. Embora seja uma pesquisa local, ela mostra uma tendência mundial: o e-commerce toma espaço no mercado e a loja precisa mudar para continuar sendo relevante.
Ambiente agradável
A pesquisa mostra que 75% dos entrevistados preferem comprar nas lojas físicas ao invés da online, se elas tiverem um ambiente agradável. Mas, afinal, o que é um ambiente agradável?
Essa é uma das perguntas que a pesquisa se propôs a responder. Antes de mais nada, vale mencionar o contexto em que o estudo foi realizado: os tempos de crise não são uma exclusividade brasileira. Com o Brexit (saída da Inglaterra da União Europeia), o comércio britânico também sentiu a queda na economia.
Além disso, pode-se dizer que a mudança do consumidor conectado vale para todo mundo. E a pergunta que fica é: em um mundo cada vez mais digital, com o online crescendo cada vez mais, qual é o papel das lojas físicas? Esta é outra pergunta que o estudo se propõe a responder.
Ponto de venda é fundamental
O estudo mostra que as lojas físicas são fundamentais para os negócios: entre 65% a 90% das vendas ainda acontecem nas lojas físicas, apesar de o online estar crescendo e ter um impacto enorme no modo de comprar. Para se ter uma ideia, o estudo mostra que metade dos consumidores acha que recursos como realidade virtual, promoções mobile e mensagens personalizadas são intrigantes.

O fato é que com a conectividade, a expectativa do consumidor aumentou. E, com isso, as lojas precisam ser redesenhadas. Eles precisam buscar um ponto de diferenciação. Segundo o estudo, 71,6% dos consumidores esperam comprar nas lojas físicas em 2017 com a mesma frequência do ano passado.
Se o consumidor encontra o ambiente correto, ele fica mais propenso a ficar mais tempo na loja, revisitar, recomendar para os amigos e acaba comprando mais. O estudo pretende olhar o que realmente mantém o consumidor engajado. Seriam as experiências de compra? As relações emocionais?
Fonte: Novarejo
Varejo & Franquias Postado em quarta-feira, 17 de maio de 2017 às 12:48
A transformação digital tem proporcionado aos consumidores cada vez mais opções de compra, especialmente no e-commerce – um dos segmentos mais prósperos da nossa economia.
Entretanto, a abundância de ofertas somada a margens de lucros apertadas faz com que varejistas online e offline procurem formas de se diferenciar da concorrência por meio de experiências que promovam a conectividade e o engajamento entre os fãs da marca.
Esses modelos de negócios voltados ao contato humano baseiam-se no emocional do público, portanto, uma jornada de compra que não atenda às necessidades do cliente pode colocar em xeque seu relacionamento com a empresa.
Hoje, o grande desafio das companhias é entender o que um consumidor busca em um produto ou espera daquela marca, e quais fatores permeiam suas escolhas, identificando, dessa forma, seus hábitos de compra e estilo de vida.
O crescente número de barbearias é um bom exemplo de compreensão do perfil de um determinado público. Esses estabelecimentos, em sua maioria, oferecem cervejas, produtos de beleza masculinos e acessórios de moda.
Os empreendedores desse mercado entendem que seu público valoriza a aparência, aprecia cervejas premium e utiliza cosméticos voltados para barbas e cabelos. Ou seja, os frequentadores não buscam simplesmente uma barba bem feita, mas também uma experiência que contemple seus gostos.
Integração de canais e atendimento personalizado são diferenciais
Empresas que fornecem produtos premium ou prestam serviços que primam por oferecer experiências de compra com maior conforto e praticidade surgem como alternativa a um público cada vez mais disposto a pagar mais por um bom atendimento.
Nesse sentido, os serviços da Apple são grandes inspirações para outras companhias. As ações globais da gigante americana, desde as compras nas Apple Store, até a hora de abrir seus produtos em casa, proporcionam uma experiência elegante e agradável. Música, fotos e contatos são sempre sincronizados automaticamente em todos os dispositivos e tudo funciona em harmonia.
Steve Jobs apostou – com sucesso – na integração de seus canais, possibilitando a compra pela Internet e retirada do produto na loja. Outra inovação foi oferecer as mesmas condições de pagamento e atendimento, independentemente do ambiente, seja físico ou digital. Além disso, as lojas da companhia disponibilizam diversos especialistas para atender usuários leigos e profissionais de TI que estejam em busca de um equipamento para trabalhar.
Um atendimento qualificado aliado à organização tem o poder de agilizar processos e fidelizar o consumidor. Diante da ascensão do consumidor, é imprescindível que as empresas compreendam a importância estratégica de oferecer uma jornada de compra agradável. Entender os hábitos de compra dos clientes e a personalização do atendimento são vitais para a entrega de um serviço diferenciado, garantindo, assim, um relacionamento melhor com seu público. Já as companhias que ainda estão presas a velhas abordagens ao cliente estão fadadas a perderem seu lugar no mercado.
Fonte: Novarejo