Notícias


Varejo & Franquias Postado em quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019 às 08:35
Mais de US$ 3,7 milhões devem ser gerados pela participação de dez marcas brasileiras na feira calçadista FN Platform, que aconteceu em Las Vegas, nos Estados Unidos, entre os dias 5 e 7 de fevereiro. Outra feira internacional que rendeu bons negócios aos calçadistas brasileiros aconteceu na Colômbia, com a participação de 17 marcas em três cidades: Bogotá, Medellín e Cali. A 3ª edição do Showroom Colômbia terminou no dia primeiro de fevereiro somando US$ 1,47 milhão em negócios realizados no próprio evento e alinhavados, de acordo com estimativas da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados).

Segundo a analista de Promoção Comercial da Abicalçados, Ruísa Scheffel, só na FN Platform, os comerciantes geraram cerca de US$ 752 mil. Além disso, os contatos feitos durante a feira e isso deve gerar novas oportunidades de renda, podendo atingir até o valor de US$ 3 milhões.

“Foi um resultado satisfatório. Apesar de registrarmos movimento menor do que em edições anteriores, os negócios se efetivaram, os compradores que apareceram estavam focados”, afirma Ruísa.

O gerente de exportação da marca de calçados infantis Kidy, Rodrigo Nunes, acredita que alguns esboços de negociações feitos durante a feira vão se concretizar durante sua próxima viagem, para Atlanta: “Recebemos diversas visitas dos Estados Unidos e de países que ainda não trabalhamos, como Nigéria, Japão, Índia e Porto Rico, sendo que, com este último, efetuamos negócios e abrimos um mercado importante com uma rede de e-commerce”, declara.

Além da Kidy, marcas como Rider, Ipanema, Zaxy, Grendene Kids, Vicenza, Werner, Magia Teen, Petite Jolie, Ala, Zatz, Beira Rio Conforto, Moleca, Molekinha, Vizzano e Schutz foram algumas das que participaram desta edição do evento. Há dois anos longe da feira, a marca Ala voltou e conseguiu conquistar México, República Dominicana e Venezuela como clientes.

Já durante a 3ª edição do Showroom Colômbia, os calçadistas tiveram que percorrer três grandes cidades para visitar o maior número de players em suas sedes:

“Como de praxe, para potencializar ainda mais as oportunidades, a Abicalçados contratou um serviço de matchmaking - reuniões pré-agendadas com compradores locais -, que identificou demandas e cruzou com os produtos apresentados visando a uma maior efetividade nos encontros. A medida é sempre muito bem avaliada tanto por expositores quanto compradores”, disse a coordenadora de Promoção de Imagem da Abicalçados, Alice Rodrigues, que também destaca que a continuidade da iniciativa é importante para o aquecimento das vendas.

Com o consumo doméstico de calçados em crescimento, o mercado colombiano é o sétimo destino internacional do produto brasileiro. Em 2018, foram exportados para lá 7,5 milhões de pares, 1% mais do que em 2017. Participaram da missão comercial as marcas Ala, Zatz, Stéphanie Classic, Petite Jolie, Usaflex, Suzana Santos, Renata Mello, Klin, Via Uno, Kildare, Sandálias DuRio, Savelli, Smidt, DOK, Kolosh Brasil, Mississipi e Tanara.

Para José Luiz da Rocha, gerente de exportação da Calçados Ala, marca que expõe desde a primeira edição do Showroom Colômbia, a continuidade da participação no evento é fundamental para quem visa o incremento dos negócios naquele mercado: “Neste ano, além de receber compradores tradicionais, abrimos dois novos”, conta.

Fonte: Fashion Network
Varejo & Franquias Postado em quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019 às 08:30
O mercado comercial passa por uma transformação rápida e completa nos últimos anos, principalmente com a implementação de tecnologia nos processos, o que vem transformando o perfil das equipes comerciais e exigindo novos talentos e habilidades dos vendedores que querem vencer nessa nova era. 

Encontrar o caminho do sucesso e bater as metas cada vez mais arrojadas é um desafio que ficou mais complexo, porém mais automatizado e intuitivo. Para se adequar a esta nova realidade, é imprescindível entender as novas tendências da área de vendas e modernizar o processo para garantir melhores respostas, menos custos e mais resultados. Veja abaixo algumas ações que funcionaram em 2018 e devem bombar ainda mais em 2019. 

Invista no pré-vendas

É imprescindível tratar o setor de vendas como uma ciência, não apenas como uma área de marketing e relacionamento. Para isso, instalar uma cultura de pré-vendas contribui para qualificar os leads antes de enviá-los ao executivo de contas, o que ajuda a gerar menos custos por garantir que o vendedor não perca tempo nem orçamento destinado à reuniões presenciais para contatos que são considerados um bad fit para o seu negócio. Quando o profissional de SDR (Sales Development Representative), responsável pelo pré-venda, entende o principal problema do cliente, ele ajuda o vendedor a validar e compreender melhor como o seu produto ou serviço pode ajudar o cliente e fazê-lo ir direto ao ponto, trazendo mais confiança na relação de negócio.

As empresas tradicionais, acostumadas com modelos antigos de venda, onde o vendedor bate diretamente na porta do cliente sem nenhuma base ou informação sobre quem ele é ou precisa, conseguem escalar, gerar mais negócios e reduzir custos quando modernizam o processo de vendas. 

Contrate profissionais de vendas modernos

Nos dias de hoje o prospect está muito mais empoderado, e não é por acaso. O fácil acesso à informação faz com que os clientes em potencial pesquisem sobre as opções que podem resolver o seu problema antes mesmo de começar a entrar em contato com as soluções disponíveis. Situações como esta prolongam em 22% o tempo de decisão do cliente, e por isso o vendedor deve estar preparado no momento do contato para conseguir ganhar a confiança e conseguir fechar negócio dentro do tempo pré-estabelecido para isso. 

Como o cliente já chega até o vendedor preparado e munido de informações, o vendedor deve estar mais focado no negócio e nos problemas do seu cliente do que apenas em manter um relacionamento. Neste momento entra a importância de usar os CRMs e ferramentas de automação a favor do vendedor, pois essas ferramentas ajudarão a otimizar o tempo e entregar mais produtividade para o executivo de vendas, transformando-o mais em conselheiros e menos em tiradores de pedidos. 

Tenha uma equipe dedicada ao pós venda

Dentro dessa nova realidade de comportamento do consumidor, onde o cliente chega com 80% de sua opinião formada com relação a um serviço ou produto para o vendedor, o pós-venda passa a ter um papel fundamental na sua manutenção. Para isso é importante ter uma equipe dedicada a acompanhar a forma com que o cliente usa o seu serviço ou produto, e estar atento a todos os aspectos que envolvem a sua experiência para conseguir tomar atitudes pró-ativas.

Invista em Customer Success

Segundo pesquisa sobre Transformação Digital, encomendada pela Avaya, junto à IDC (International Data Corporation), 36% das empresas que priorizam a experiência do consumidor registraram um crescimento de 50%. O estudo foi realizado com 800 empresas de 15 países, incluindo o Brasil. Isso mostra que, muito mais do que um produto ou serviço, as pessoas buscam comprar relacionamento, confiança e resultado com agilidade e garantia de uma boa experiência. 

Apesar de parecer um desafio de outro mundo, isso pode ser simplificado com um profissional dedicado exclusivamente ao Customer Success da empresa. Essa pessoa irá se antecipar à necessidade do cliente e crescer junto com ele. O índice de sucesso desse trabalho pode ser medido com o número de recompras ou a renovação de contrato. Para conseguir aumentar os negócios, no entanto, ao invés de investir apenas no aumento na força de vendas, proporcione esse investimento para que o seu cliente esteja bem amparado. Adquirir um novo cliente custa 5 vezes mais do que retê-lo, portanto, mantê-lo satisfeito é uma forma de otimizar os seus custos. 

Engaje o seu time de vendas

Manter um time engajado e participativo é um desafio cada vez mais necessário para quem deseja ter um processo escalável e contínuo. Mas com o perfil competitivo do profissional de vendas, nem sempre esta é uma tarefa fácil. Apostar na gamificação é um caminho para conseguir manter uma equipe motivada e direcionada aos mesmos objetivos. Ao oferecer pontuações na medida em que novos leads ou vendas são gerados, é possível aumentar o volume de vendas sem necessariamente aumentar o time. 

Outros benefícios que essa aposta pode trazer é o aceleramento da conversão, o aumento no volume de leads, o incentivo ao uso do CRM, a melhor qualificação de oportunidades, o aumento no volume de prospecção, melhor capacitação da equipe, o maior aprendizado sobre os clientes e o estímulo ao uso do up selling e cross selling. 

Nunca esqueça da prospecção

O primeiro pilar no processo de vendas é a geração de leads. Uma vez que esses leads são gerados, é necessário pensar nas pessoas, máquinas e processos que o levem à decisão de compra. Para que tudo isso de certo é necessário pensar na gestão do processo como um todo. Ao deixar o trabalho de prospecção para o executivo de vendas, ele perde um tempo útil onde poderia estar se dedicando a atividades mais decisivas para o fechamento do negócio. Por isso é importante pensar em automatizar atividades de baixo valor, para que o vendedor otimize o seu tempo e se dedique ao cuidado em estudar e estruturar uma proposta mais qualificada e focada na necessidade do cliente. 

Fonte: Administradores