Notícias


Economia & Finanças Postado em domingo, 20 de outubro de 2019 às 13:58
A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estima que a oferta de vagas temporárias para o Natal de 2019 será a maior em seis anos. Segundo projeção da entidade, serão contratados 91 mil trabalhadores temporários neste fim de ano para atender ao aumento sazonal das vendas. O número é 4% maior do que o registrado em 2018 (87,5 mil). O Natal é a principal data comemorativa do varejo e deve movimentar R$ 35,9 bilhões em 2019.

“Contribuem para a retomada parcial do nível de atividade do setor a inflação baixa, os juros básicos no piso histórico, os prazos mais amplos para a quitação de financiamentos e, principalmente, a liberação de recursos extraordinários para o consumo, como os saques no FGTS e no PIS/Pasep”, afirma José Roberto Tadros, presidente da CNC.

Regionalmente, São Paulo (22,6 mil), Minas Gerais (10 mil), Rio de Janeiro (9,4 mil) e Rio Grande do Sul (7,6 mil) concentrarão mais da metade (54%) da oferta de vagas.

De acordo com o estudo da CNC, os maiores volumes de contratações deverão ocorrer nos ramos de vestuário (62,5 mil vagas) e de hiper e supermercados (12,8 mil). “Entre os segmentos do varejo, as lojas de vestuário, acessórios e calçados são, historicamente, as mais afetadas positivamente pelas vendas natalinas”, lembra o economista da Confederação Fabio Bentes, que completa. “Enquanto o faturamento do varejo cresce em média 34% na passagem de novembro para dezembro, no segmento de vestuário esse percentual costuma subir 90%.”

Profissões

Neste ano, o levantamento realizado pela CNC traz também um recorte de profissões, que mostra que oito em cada dez vagas ofertadas deverão ser preenchidas por vendedores (57 mil), operadores de caixa (13 mil) e pessoal de almoxarifado (4,6 mil). Os maiores salários médios deverão ser pagos aos contratados para os cargos de gerente de marketing e vendas (R$ 2.724) e gerentes de operações comerciais (R$ 2.020).

A taxa de efetivação dos trabalhadores temporários deverá ser maior do que nos últimos cinco anos, com expectativa de absorção definitiva de 26,1%. De acordo com Bentes, entretanto, “a ainda lenta recuperação da economia e do consumo desde o fim da recessão deverá impedir que o varejo apresente taxas de efetivação superiores a 30%, como costumava ocorrer até 2014.”

Fonte: CNC
Varejo & Franquias Postado em domingo, 20 de outubro de 2019 às 13:56
E para isso são vários os fatores que devem contribuir: desde o estacionamento, ambiente confortável, profissionais qualificados, e vários outros.

E é justamente por esse motivo que as lojas físicas jamais deixarão de existir, pois essa experiência, esse contato emocional e relacionamentos, só é possível quando é feito entre pessoas frente a frente. Uma experiência de compra positiva é de extrema importância para uma organização, pois causa algo chamado satisfação. Além de efetuar novas compras, este processo cria um vínculo, gera confiança, e no fim das contas, o cliente ainda tem a possibilidade de indicar para amigos e conhecidos.

O produto é somente uma commoditie, que é tangível e tem um preço, porém, a experiência gerada e seus benefícios agregam valor e consequentemente uma relação de identificação - o qual não deve apenas atender a necessidade do cliente - mas sim, a marca como um todo deve estar alinhada com os seus propósitos.

Para isso, a organização precisa ter uma cultura de inovação com foco em ações, e isso vai desde um aromatizador de ambiente, uma música agradável e finalizando, a própria explicação da melhor forma de utilizar determinado produto, como uma entrega técnica, por exemplo. É possível causar experiências memoráveis que trarão impactos positivos na satisfação do cliente e para isso, os administradores necessitam que não olhem somente para o seu segmento, mas que olhem o mercado como um todo.

Assim, diante de pessoas cada vez mais conectadas, procurando praticidade e com a informação na palma da mão, uma venda não pode se resumir em somente uma “troca”: pagamento e produto, e sim, uma organização alinhada com o principal propósito de entender o seu consumidor e proporcionar experiências únicas visando a sustentabilidade não só da relação, como também do seu negócio.

Fonte: Administradores