Notícias


Varejo & Franquias Postado em quarta-feira, 12 de junho de 2019 às 09:54
A Amazon é a marca mais valiosa do mundo, de acordo com o ranking BrandZ das 100 Marcas Globais Mais Valiosas de 2019, lançado nesta terça-feira, 11, pela WPP e Kantar. A empresa, que apareceu em terceiro lugar no ano passado, superou Google e Apple para alcançar a liderança. Aquisições que levaram a novos fluxos de receita, prestação de serviços ao cliente e capacidade de se manter à frente de seus concorrentes são os fatores apontados pela Kantar como responsáveis pelo crescimento de 52%, chegando a US$ 315,5 bilhões.

Líder do ano passado, o Google (US$ 309 bilhões de valor de marca, alta de 2%) também foi superado pela Apple, que se manteve na vice-liderança, com US$ 309,5 bilhões, incremento de 3%. Assim como em 2018, as empresas de tecnologia dominam as primeiras colocações – são cinco entre as Top 10 (veja abaixo). As marcas de tecnologia de consumo, em conjunto, ultrapassam US$ 1 trilhão em valor de marca.


Em uma disputa regional, pela primeira vez, o Alibaba superou a Tencent e se tornou a marca chinesa mais valiosa. A varejista cresceu mais de 16%, indo para US$ 131,2 bilhões, subindo para o sétimo posto. A Tencent caiu três posições, indo para a oitava, com uma queda de 27%.

O Instagram (44º lugar, com valor de US$ 28,2 bilhões) se destacou como o maior crescimento (95% em valor). A Lululemon, empresa de roupas esportivas inspiradas pela ioga, foi a segunda com alta de 77%, chegando a US$ 6,92 bilhões. Netflix, com crescimento de 65% (34ª posição, com US$ 34,3 bilhões) e Uber, com 51% (53ª, com US$ 24,2 bilhões) também tiveram alta acelerada.

O valor de marca combinado do ranking avançou US$ 328 bilhões, alcançando US$ 4,7 trilhões. Parte deste valor veio das marcas de tecnologia de consumo, como as recém-chegadas Xiaomi (US$ 19,8 bilhões) e Meituan (US$ 18,8 bilhões), ambas da China.

Fonte: Meio e Mensagem
Varejo & Franquias Postado em quarta-feira, 12 de junho de 2019 às 09:14
A Nike abriu uma loja pop-up em Chicago, nos Estados Unidos, focada na experiência do consumidor e em otimizar todos os espaços para oferecer serviços e conteúdo à comunidade. Chamado de NikeLab Chicago Re-Creation Center, o espaço parece ter sido criado dentro de uma caixa de sapatos gigante da Nike e tem como objetivo celebrar a ideia de recriação através de sustentabilidade e experiências – dois assuntos que estão em alta nas discussões sobre o futuro das lojas físicas. O conceito foi projetado pelo designer de moda norte-americano Virgil Abloh, conhecido por ser o estilista pessoal do rapper Kanye West.

Na nova loja, os consumidores podem ainda levar seus calçados para reformar graças a um estúdio criativo que permite transformar os modelos esportivos. Além disso, os clientes são incentivados a doarem modelos antigos para serem transformados em material reciclável para a iniciativa Nike Grind, que aproveita diversos resíduos, vindos até de aterros sanitários, para produzir vários produtos, de roupas e calçados. O programa já tem 25 anos.

“Esse lugar é, provavelmente, 20% varejo em uma das ruais comerciais mais caras do país (Michigan Avenue), mas, para mim,o conceito e a marca são valiosos, não apenas sobre trocar mercadorias por dinheiro”, disse Abloh em entrevista ao portal norte-americano Fast Company. A loja que Abloh projetou fica aberta até o dia 31 de julho.

Uma quadra de basquete na comunidade projetada por Abloh em Chicago está prevista para ser aberta antes do evento NBA All-Star 2020 e será construída a partir da Nike Grind.

As paredes foram forradas com papel de caixa de sapatos. Os sacos que seguram as peças de sapatos e muitos dos banners ao redor da loja, na verdade, são feitos de sacos reciclados da Nike Air.



Alguns parceiros vão organizar workshops e programas de orientação que introduzem os fundamentos de uma variedade de disciplinas. Os palestrantes vão falar sobre design gráfico, fotografia, design de tecido, identidade de marca e arquitetura.

Fonte: Novarejo