Notícias


Varejo & Franquias Postado em quinta-feira, 13 de dezembro de 2018 às 15:43
As incertezas do ano eleitoral começam a ser dissipadas e as perspectivas para o varejo, em 2019, são positivas. Em evento realizado na semana passada pela Credz, bandeira e administradora de cartões de crédito, especialistas do setor financeiro apresentaram suas projeções para o ano que entrará e analisaram quais medidas devem ser adotadas com urgência pelo futuro governo para o avanço consolidado do consumo entre as famílias brasileiras.

Em sua análise, o ex-ministro da Fazenda Maílson da Nóbrega creditou o cenário para positivo para o varejo a um conjunto de fatores: aumento do consumo das famílias, que deve ficar entre 3,5% e 4% na comparação com este ano, geração de novos postos de trabalho e elevação da massa salarial. Para o economista, o mercado também registrará um avanço do volume de crédito para pessoas físicas e jurídicas, saindo da estagnação do atual período. “Há um clima de confiança tanto no empresariado quanto nos consumidores”, disse Nóbrega.

Esse quadro positivo para o varejo também é pintado por Marcelo Ferraz, executivo da XP Investimentos. Para Ferraz, os empresários devem se preparar para a retomada econômica e, consequentemente, da competitividade no setor. “A concorrência não ficará restrita ao mercado interno. Temos que lembrar do processo de globalização do varejo. Hoje, o varejista tem um vizinho concorrente. Amanhã será o chinês”.

O executivo avalia que os varejistas devem adotar o seguinte caminho para estruturar os negócios no próximo ano: investir em multicanais, ampliar e planejar os montantes destinados para experiências com equipes de vendas e analisar as possibilidades de parcerias (redes). “Em um cenário de retomada do consumo, o varejo precisará conhecer cada vez mais seu cliente e estar preparado para acompanhar as tendências do mercado.”

Tanto Nóbrega quanto Ferraz concordam que essas previsões dependem da capacidade do novo governo de colocar em andamento as medidas necessárias para destravar a economia e tornar o país atrativo para investimentos internos e externos. Nessa listra, o principal item é a reforma da previdência. Na avaliação do ex-ministro, as mudanças nas regras do sistema previdenciário são fundamentais para impedir a insolvência dos estados. “Hoje, quatro estados (Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Rio Grande do Norte) já enfrentam esse quadro. A reforma na previdência é a base para evitarmos a insolvência de outras unidades da federação”.

Fonte: Novarejo
Varejo & Franquias Postado em quinta-feira, 13 de dezembro de 2018 às 15:37
Natal é uma época estratégica para o setor de e-commerce. No ano passado, as vendas no varejo digital somaram R$ 8,4 bilhões no período, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), aumento de 12% em relação a 2016. Para 2018, a expectativa também é de alta. Se você fez a lição de casa direitinho durante o ano, com um e-commerce organizado, com sistema de busca e SEO bem calibrados e funcionais, o período das festas é ideal para colher os frutos.

Veja dicas para alavancar as vendas ainda mais:

Marketing sensorial digital

Seu e-commerce é sua loja. Em vez de vitrines de sonho, luzes mágicas e decoração de Natal, você pode recriar esse universo afetivo em detalhes no ambiente digital, como um banner ou comunicações específicas, que tragam o mesmo clima especial dessa época do ano para sua página.

Promoções

Kits com descontos cumulativos para a compra de mais produtos com preços especiais são ideias que podem alavancar o tíquete médio das compras de Natal. Crie para o cliente a sensação de estar economizando tempo e dinheiro no seu e-commerce ao precisar pensar em embalagens ou fretes de lojas diferentes. Descontos progressivos dão a sensação de gastar menos, quando na verdade o consumidor está gastando mais. É uma excelente forma também de girar estoques antigos.

Parcelamento

Dividir o pagamento em parcelas que cabem em qualquer bolso podem influenciar a decisão de compra, fazendo com o que o cliente busque descontos e se permita um gasto maior, não comprometendo uma parcela do orçamento mensal acima do que ele tinha planejado gastar. O momento ideal para fisgar o cliente é a partir do início de dezembro, quando cai a primeira parcela do 13º.

Destaque “curingas”

A época é de amigo secreto e de presentear pessoas que nem sempre se conhece bem o gosto. Dê destaque a produtos que tenham aceitação mais ampla, política de trocas ou mesmo vale-presente. Clareza numa política flexível pode ser a diferença na hora do cliente escolher seu e-commerce para as compras de fim de ano.

Formas de pagamento

Como seu cliente prefere pagar? Você oferece opções suficientes para cercar todo perfil de consumidor que se interessa pelo seu produto? Amplie o leque com opções como boleto bancário (que permite maiores descontos, principalmente à vista, sem prejudicar sua margem), depósito em conta, ou os intermediadores de pagamento que fazem parte do mercado.

Planeje seu estoque e logística

Muita gente deixa as compras de fim de ano para última hora. Esteja pronto para lidar com picos de pedidos que precisam ser atendidos e despachados em prazos curtos, evitando eventuais atrasos, sobretudo nas etapas que dependem do seu e-commerce, da organização do estoque ao envio. Dê feedbacks para seu cliente quando o produto for embalado e despachado – isso reduz a ansiedade com a compra e atua na fidelização, dando certeza de que o e-commerce fez todo o possível para que aquela compra esteja em mãos no prazo previsto.

Amplie seus canais de atendimento

Aproveite a maior procura nesta época do ano para ampliar as formas de divulgar produtos e promoções, tirar dúvidas, prazos de entrega e ações específicas . Seja um SAC por email ou mensagens diretas nos seus canais de divulgação em redes sociais, ou ainda aplicativos como Whatsapp, existem diversos novos canais que possibilitam uma relação mais próxima com o cliente e suas necessidades. Como as pessoas têm uma relação muito próxima com seus celulares, é uma forma do seu e-commerce estar em contato praticamente o tempo todo com o consumidor.

Impulsione redes sociais

Essa época oferece de bandeja valores como afeto, família, cuidado e diversão para trabalhar a conexão emocional com seus clientes. Ter conteúdo com seus produtos nas redes sociais é praticamente obrigatório – e vale a pena impulsionar seu e-commerce com anúncios pagos para ganhar destaque entre os concorrentes e ser lembrado. Mesmo se a data não teve destaque no seu planejamento de comunicação anual, não deixe passar batido: ser visto é ser lembrado. Use humor, emoções e pense em mensagens simples, priorizando mobile.

Prepare-se para o plano B

Quanto mais próximo do Natal, mais clientes tendem a chegar com pressa, precisando de itens específicos, como um determinado brinquedo ou peça de roupa na cor e tamanho que você não tem mais. Trabalhe opções interessantes de modo que a potencial frustração se transforme no alívio de conseguir realizar a compra mais próxima possível do imaginado, garantindo tanto a venda como a boa experiência de compra do cliente.

Finalização e pós-venda

Crie oportunidades de estreitar o laço com seu cliente: um email de agradecimento após a venda ou uma oportunidade de feedback no momento da entrega do produto consolidam a fidelização à loja e abrem caminho para a próxima venda.

Fonte: Novarejo