Notícias


Gestão & Liderança Postado em quarta-feira, 12 de junho de 2019 às 08:55
Assim como em qualquer empresa que esteja dando os primeiros passos, em uma startup também é necessário ter atenção redobrada aos detalhes para que tudo funcione com a máximo eficiência, principalmente, nos meses iniciais, quando as condições são pouco favoráveis. Nesse período, é essencial conhecer os erros mais comuns, de empreendedores iniciantes, que devem ser evitados.

Ter alguns tropeços ajuda a mostrar a melhor direção a ser seguida dentro de um mercado, mas, muitas vezes, eles podem prejudicar ou retardar os seus planos. Sendo assim, quanto mais erros você puder evitar no início da sua jornada empreendedora, mais rápido conseguirá alcançar os seus objetivos.

Empreender requer muita dedicação, determinação e conhecimento sobre o segmento. Ao observar e conhecer a história de outros empreendedores, a experiência deles servirá como aprendizado, o que reflete positivamente na gestão do seu negócio. Afinal, você saberá o que poderá replicar ou não para ser bem-sucedido.

Quer aumentar as chances de êxito da sua startup? Confira, abaixo, a lista que preparamos com os erros que você não pode cometer!

1. Não conhecer seu público-alvo

Uma startup é um empreendimento que ainda está engatinhando, contendo um modelo de negócio que realiza os primeiros testes para compreender qual é o seu posicionamento de mercado. Nessa etapa, é imprescindível conhecer muito o seu público-alvo e entender o que eles esperam da sua empresa.

Mesmo quem tem anos de vivência no mercado e muita experiência com o produto ou serviço oferecido deve tomar cuidado para não se basear em ‘’achismos’’, todo o seu planejamento tem que ser feito a partir de informações reais. E isso só é possível por meio de uma boa pesquisa de mercado.

A partir dessa ferramenta, você terá certeza de quem é o seu cliente, descobrindo também quais são as suas preferências, do que não gostam, o que a sua empresa pode oferecer, a maneira correta de se comunicar e como fidelizá-los.

O estudo desses dados lhe permite crescer rapidamente e de forma mais segura. Ignorar as características do seu público faz com que o negócio seja construído em cima de suposições, aumentando as chances de falhas e fracassos.

2. Não desenvolver um plano de negócios

O plano de negócios é uma espécie de guia para o empreendedor. Por isso, ele é indispensável para o sucesso de toda e qualquer empresa. É com o uso desse material que você poderá determinar ações e metas a serem cumpridas a longo, médio e curto prazo.

Esse documento deve ser composto por informações como principais ideias, custos para colocá-las em prática, metas e prazos, possíveis riscos, o alvo a ser atingido e o potencial de lucro da startup.

Dessa forma, você saberá exatamente onde deseja chegar e estará mais bem organizado para trilhar esse caminho, tendo controle sobre as suas ações, o que lhe dá mais segurança para enfrentar os obstáculos que surgirem.

3. Não saber nada sobre gestão

Você atuou a sua vida inteira em um determinado segmento e agora decidiu abrir um startup nessa área? Isso é ótimo, pois significa que você tem o conhecimento técnico para oferecer o serviço, mas não é tudo, uma vez que para comandar uma empresa é necessário ter competências sobre gestão, para que ela flua bem em todos os setores, como finanças, marketing e recursos humanos.

Por isso, é preciso investir na sua capacitação, buscando adquirir conhecimentos sobre administração, além de recorrer a profissionais especializados nos assuntos que você não domina. Isso acrescenta profissionalismo à imagem do seu negócio, aumentando a sua credibilidade perante clientes, fornecedores e concorrentes.

4. Não desenvolver um MVP

O Produto Minimamente Viável (MVP) deve ser uma das primeiras etapas a serem executadas pelo empreendedor, pois consiste em analisar e coletar dados sobre os seus clientes para posteriormente criar simulações práticas de negócio, que ajudam a empresa a aprender, em pouco tempo, o que falta para definir preços, funcionalidades e lançar um produto inovador.

Deixar de desenvolver um MVP pode fazer com que o empreendimento lance uma solução que não represente as necessidades do seu público. Portanto, invista nesse recurso para aprimorar o seu produto ou serviço, aproximando-o o máximo possível da demanda identificada nos consumidores.

5. Demorar para lançar seu produto

A agilidade é uma das principais características das startups. Nesse ambiente, uma ideia pode surgir de manhã, ser testada no dia seguinte e disponibilizada no mercado na próxima semana.

É claro que planejamento é importante, mas o excesso de demora para lançar um produto pode fazer com que o negócio perca oportunidades que são estão disponíveis no momento em que o mercado está mais aquecido.

Para que isso não aconteça, estabeleça um cronograma de testes dos seus produtos, para que possam ser lançados com qualidade, mas sem perder as datas mais oportunas.

6. Não diferenciar as finanças da empresa das finanças pessoais

A confusão patrimonial pode levar muitas empresas à falência, sendo esse um dos problemas mais comuns da má gestão de um negócio. Quando não há uma divisão definida do que é patrimônio empresarial e o que é posse pessoal, a tendência é que o proprietário ou sócios usem o dinheiro para empresa para pagar contas pessoais, prejudicando a sua saúde financeira e sobrevivência.

Com essa separação, há mais facilidade para escriturar o negócio, evitam-se problemas fiscais e tributários, ajuda a entender a situação financeira do seu caixa e aumentar o poder de crédito.

7. Subestimar a necessidade de marketing e divulgação

Mesmo em uma empresa de pequeno porte é necessário elaborar estratégias de comunicação eficientes para promover a divulgação do seu produto. O marketing é de suma importância, especialmente, na fase inicial, quando a startup precisa tornar-se conhecida para atrair clientes e investidores.

Embora nos primeiros meses de existência seja recomendado poupar gastos, tenha em mente que a divulgação é um fator que merece muita atenção. De preferência, busque profissionais capacitados para essa questão.

Agora que você sabe quais são os erros de empreendedores iniciantes que deve evitar, já pode se preparar para impedir danos ao seu negócio, tornando a sua gestão mais precisa — fator crucial para conquistar a estabilidade e lucratividade.

Fonte: Empreendedor
Estratégia & Marketing Postado em quarta-feira, 12 de junho de 2019 às 08:52
De acordo com a previsão do estudo Worldwide Retail 2018 Predictions, da International Data Corporation, até o final de 2018 cerca de 50% dos varejistas teriam adotado uma plataforma de comércio multicanal, o que teria levado a um crescimento de até 30% em seus negócios. Embora as estratégias omnichannel sejam comuns entre grandes marcas e varejistas, os pequenos negócios também podem se beneficiar de diversificar os canais de venda para crescer – especialmente os canais que dão acesso a consumidores do mundo todo.

No Brasil, a internet influencia mais de 50% das compras feitas em lojas físicas por consumidores conectados, o que reforça a importância de pequenos negócios potencializarem sua presença online. O eBay, um dos maiores marketplaces do mundo, permite que pequenos varejistas tenham acesso a mais de 180 milhões de consumidores em 190 países. “Cerca de 99% dos vendedores brasileiros do eBay exportam e a maior parte de suas vendas é feita para consumidores estrangeiros de cerca de 22 países, o que mostra aos varejistas locais o potencial de ampliar seus canais” afirma Xavier Aguirre, Gerente de Desenvolvimento de Negócios e Exportações do eBay para a América Latina.

A empresa reuniu cinco dicas para os varejistas que querem implementar uma estratégia omnichannel para potencializar seus negócios:

Analise seu negócio e decida que canais atendem melhor os seus objetivos

Administrar vários canais de venda requer trabalho e dedicação – por isso, você precisa selecionar os que melhor servirem à sua estratégia de crescimento e que mais complementem seus negócios. Algumas perguntas que podem te ajudar a definir estes canais são: qual é o melhor lugar para oferecer os seus produtos e por quê? Onde estão as pessoas que você quer impactar e como você pode chegar até elas? Quanto tempo, dedicação e recursos cada canal requer? Se você está focando em vendas online, como otimizar o tráfego do seu site?

Integre todos os seus canais, mas dê uma atenção especial para cada um deles

Cada canal da sua estratégia de vendas merece o seu próprio monitoramento, tempo e esforço, já que os canais têm processos e objetivos diferentes. Você precisa garantir que cada um deles seja administrado como um elemento essencial da sua estratégia de vendas. Apesar disso é importante garantir que todos eles trabalhem em sinergia, já que eles devem servir a um objetivo maior de negócios.

Aproveite a tecnologia

O uso de ferramentas tecnológicas é fundamental para que você consiga oferecer aos consumidores uma experiência positiva em todos os seus canais. Soluções tecnológicas vão incrementar a administração dos seus negócios e a sua capacidade de atender às necessidades dos seus consumidores – da otimização do conteúdo para SEO e analytics na sua venda online às ferramentas de manejo de estoque e tecnologia para lojas físicas, como QR Codes.

Garanta um SAC consistente e de qualidade em todos os seus canais de venda

Ter um bom SAC em todos os seus canais de venda é muito importante para garantir que os seus consumidores terão a melhor experiência ao comprar de você – e, portanto, garante que eles retornem! Os consumidores de lojas físicas não são os mesmos que compram online, portanto entenda onde os seus consumidores estão e como eles compram para oferecer experiências customizadas para cada grupo.

Incorpore um canal de vendas que te permita chegar a consumidores estrangeiros

Exportar é uma grande oportunidade para crescer seu negócio e se tornar mais competitivo no cenário de comércio desafiador em que vivemos. Ao incorporar um marketplace global, você terá uma loja aberta 24 horas por dia e, no caso do eBay, chegará a consumidores estrangeiros. Os marketplaces estão crescendo hoje porque permitem um varejo multicanal fácil e com bom custo-benefício, além de terem uma demanda crescente, impulsionada por tecnologias em constante evolução. Recentemente o eBay lançou a eBayMag, uma ferramenta personalizada que ajuda vendedores brasileiros a potencializarem seus negócios, listando seus produtos na língua local dos oito maiores países do eBay por meio de uma tecnologia de tradução.

Fonte: Novarejo